Homem que odiava a segunda-feira

Autor: Ignácio de Loyola Brandão
Editora: Global
ISBN: 8526006290

Português
Formato lido: Digital, Kindle
168 páginas quando no formato papel

Sinopse:
Nesta obra, o autor reúne cinco contos em que os personagens centrais têm como elo o horror, comum a quase todos nós, às segundas-feiras. Com humor delicado e sutil ironia, os contos de Loyola mostram um sarcástico retrato do país em que vivemos. Sátiras, humor negro, sarcasmo, revolta com o cotidiano estão presentes nos enredos que mostram – um homem que mantém diálogo com uma formiga; a caixa de correio que engole mãos; a ideia de corpos com partes removíveis, permitindo retirar ora uma perna, ora a barriga; a estranha situação de pensar e emitir sons sem qualquer sentido, como se falasse um idioma bárbaro ou estivesse sendo dublado; e a descoberta final de não entender mais a língua que falava.

O que eu achei: 
Não gostei, mas não consigo explicar se não gostei do livro ou do autor. Terei que ler mais um livro dele para chegar a uma conclusão.

A Casa dos Budas Ditosos

Autor: João Ubaldo Ribeiro
Editora: Objetiva
ISBN: 8573022396

Português, 161 páginas
Formato lido: Digital, Kindle

Sinopse: 
Ao receber, segundo afirma, um pacote com a transcrição datilografada de várias fitas, gravadas por uma misteriosa mulher, o escritor João Ubaldo Ribeiro não podia imaginar o que o esperava. E é agora você, inocente leitor, que sequer pode suspeitar o que o aguarda em cada uma das páginas deste livro. Nelas se conta uma vida. E a suposta autora teria enviado seu testemunho para que fosse utilizado para o volume sobre a luxúria da Coleção Plenos Pecados. O escritor aceitou o oferecimento e o resultado final está agora diante de você. Que deve preparar-se para um relato pouco comum, às vezes chocante, às vezes irônico, sempre instigante. Na verdade, dificilmente a ficção poderia alcançar os limites do que a devassa senhora viveu e narra em detalhes riquíssimos. Se o leitor tem alguma dúvida, ela logo se dissipará, neste fascinante mergulho na vida espantosa de uma mulher sem dúvida excepcional , cuja narrativa alcança as dimensões de um retrato sociológico de toda uma cultura e uma geração, envolvendo um dos pecados mais indomáveis, e capitais.

O que eu achei: 
Foi minha primeira experiência com João Ubaldo, confesso que só resolvi ler depois de sua morte neste mês. Não sei se escolhi bem o livro, pois ele afirma que é apenas uma transcrição, que do ponto de vista de Lúxuria/Pornografia é fabuloso, mas quero dizer, não sei se retrata realmente a maneira de escrever do João Ubaldo Ribeiro.
Portanto somente terei minha opinião formada após ler um segundo livro.

A minha Segunda Guerra

Escritor: João Barone
Editora: Panda Books
ISBN: 9788588948983

Língua: Português, Brasil
156 páginas quando em formato Papel
Formato lido: Digital, ePUB

Sinopse: 

“Muitos conhecem o músico João Barone dos Paralamas do Sucesso. O que poucos sabem é que ele é um aficionado pela Segunda Guerra Mundial, o conflito mais devastador do século XX e que definiu o mundo em que vivemos. Barone tem uma ligação pessoal com esse momento marcante da História: seu pai foi um pracinha, um dos muitos heróis brasileiros que representaram honrosamente nossa nação na luta pela Liberdade e pela Democracia. Em A minha Segunda Guerra, João Barone divide com os leitores, de forma emocionada e singela, o resgate da relação com seu pai.
João Barone atravessou o Atlântico com seu incrível jipe original da Segunda Guerra e, como um pracinha da Paz, participou das celebrações de 60 anos do desembarque Aliado na Normandia. Uma verdadeira epopeia que foi devidamente registrada num imperdível documentário dirigido por Victor Lopes. Barone faz um relato dos bastidores dessa empolgante aventura e ensina o caminho das pedras àqueles que sonham em visitar o cenário da batalha. Nesta viagem deu-se o encontro singular com um ás da aviação mundial, o brasileiro Pierre Clostermann, que participou efetivamente do Dia D. Nesse encontro, Clostermann é homenageado pela Aeronáutica Brasileira e concede uma última e importantíssima entrevista, um depoimento precioso e emocionado sobre o conflito. Só essa narrativa já vale o livro.
Como se tudo isso não fosse o bastante, Barone nos apresenta uma coletânea de artigos que escreveu sobre o assunto, sempre abordando aspectos curiosos do conflito.
Enfim, A minha Segunda Guerra é um livro despretensioso, de leitura fácil, mas muito importante para que as novas gerações possam conhecer um pouco mais sobre esse terrível conflito que sempre reforça em nossas mentes a importância da Paz.” (Marcelo Madureira – Humorista do programa Casseta & Planeta)

O Milionário Mora ao lado (Os surpreendentes segredos dos ricaços americanos)

Escritores: Thomas Stanley, William Danko,
Editora: Manole
ISBN: 85-204-0957-1

Português, Brasil
309 páginas
Formato lido: Papel

Sinopse:
“O Milionário Mora ao Lado” revela quem são os ricos de verdade, quais são as suas profissões e ocupações, onde fazem compras, como fazem investimentos, como ficaram ricos, quais os setores de maior perspectiva para obter-se lucros e muito mais.

O que eu achei do livro: 
Normalmente estes livros mostram o obvio e você fica mesmo assim estasiado com a revelação, porém este foi um livro diferente, ele mostra com números e “cases” como o Americano dito “médio” se comporta, sem aqueles exageros e deslumbres que o dinheiro pode trazer.

Apesar do livro tratar única e exclusivamente de modelos Americanos eu acho que ele se encaixa perfeitamente a realidade brasileira, onde o aumento de renda dos últimos anos trouxe uma elite deslumbrada e muitos “fakes” ricos.

A minha intenção com este livro foi entender um pouco como funciona a cabeça do “self-made-man”, e me ajudou bastante, ou seja, recomendo a leitura principalmente para que deseja iniciar um negócio.

Memória de Minhas Putas Tristes

Escritor: Gabriel Garcia Márquez

Editora: Record
ISBN: 8501072656

Português
Formato lido: Digital, ePUB
132 páginas no formato de Papel

Sinopse:
“No ano que completei noventa anos, quis presentear-me com uma noite de amor louco com uma adolescente virgem”. E é assim, sem rodeios, que Gabriel García Márquez nos apresenta a história deste velho jornalista que escolhe a luxúria para provar a si mesmo, e ao mundo, que está vivo. Primeira obra de ficção do autor colombiano em dez anos, “Memória de Minhas Putas Tristes” desfia as lembranças de vida desse inesquecível e solitário personagem em mais um vigoroso livro de Gabriel García Márquez. O leitor irá acompanhar as aventuras sexuais deste senhor, narrador dessas memórias, que vai viver cerca de “cem anos de solidão” embotado e embrutecido, escrevendo crônicas e resenhas maçantes para um jornal provinciano, dando aulas de gramática para alunos tão sem horizontes quanto ele, e, acima de tudo, perambulando de bordel em bordel, dormindo com mulheres descartáveis, até chegar, enfim, a esta inesperada e surpreendente história de amor. Escolhido o presente, ele segue para o prostíbulo de uma pitoresca cidade e ao ver a jovem de costas, completamente nua, sua vida muda imediatamente. Quando acorda ao lado da ainda pura ninfeta Delgadina, o personagem ganha a humanidade que lhe faltou enquanto fugia do amor como se tivesse atrás de si um dos generais que se revezaram no poder da mítica Colômbia de Gabriel García Márquez. Agora que a conheceu, ele se vê à beira da morte. Mas não pela idade, e sim por amor. Para uns, “Memória de Minhas Putas Tristes” trata-se de uma reflexão romanceada sobre o amor na terceira idade. Para outros, é um hino de louvor à vida e, por extensão, ao amor, já que um não existe sem o outro no imaginário do Prêmio Nobel de Literatura de 1982. Sempre sublime, Gabriel García Márquez presenteia-nos com esta jóia narrativa repleta de sabedoria, memória e bom humor, que confere ainda mais brilho à sua genialidade literária.

O que eu achei do livro:
Definitivamente não é o melhor livro do Gabriel, na minha humilde opinião,  mas mesmo assim vale a leitura.

FAKE – A história do homem que enganou o mundo

Escritor: J. J. Burdman

Português
Versão lida: Digital, Kindle

Sinopse: Neil Armstrong realmente pisou na lua? Depois de quarenta anos, dúvidas e questões são levantadas a todo momento sobre a maior façanha americana. E se tudo não passasse de uma grande farsa? Quem a teria planejado? Como colocariam um astronauta na “Lua” sem deixar pistas? De onde transmitiriam um evento dessa magnitude? Essas e muitas outras respostas você só vai encontrar lendo FAKE. A história do homem que enganou o mundo. Uma ficção baseada em boatos reais.

O que eu achei do livro:  Daqueles que você não consegue parar de ler. Gostei muito e consegui termina-lo em 2 dias.
A Versão em português tem muitos erros de tradução e erros gramaticais, mas que não atrapalham a leitura. Parece que foram erros de finalização de tradução do livro. Vale a pena ler como uma leitura de fim de semana, sem compromisso de pensar muito.

O Chamado da Floresta

Escritor: Jack London
Editora: L&Pm
ISBN: 8525412236

Português
Formato lido: Digital
158 páginas

Sinopse: Jack London (1876-1916), que tentou a vida no garimpo em 1897, narra neste romance as aventuras de Buck, o privilegiado cão doméstico de uma família californiana. Em meio à febre do ouro, Buck é roubado de seu ambiente e contrabandeado para o Alasca. No caminho, sofre uma série de maus-tratos, até que encontra refúgio em uma irmandade de cães e, assim como os corajosos garimpeiros, vê-se na necessidade de se adaptar à vida selvagem. Buck entra em contato com sua natureza primitiva, em uma jornada de autoconhecimento, e redescobre seus instintos. O chamado da floresta, publicado no formato de folhetim em 1903, deu fama mundial a Jack London e é talvez o romance mais difundido da literatura norte-americana: entre uma e outra aventura em uma das paisagens mais hostis do globo, o leitor é levado a reavaliar seus princípios de civilidade, lealdade e liberdade.

Por que eu li: 
Li um texto muito legal do Felipe Larêdo no Papo de Homem chamado o “O chamado da natureza (Call of the wild) da série Livros pra macho #5, e me despertou uma baita curiosidade no livro.
Atê então eu nunca tinha houvido falar do Jack London.

O que eu achei do livro:
Pois o Felipe tem toda razão, muitas vezes livros escritos de forma simples, desprovidos de frescura tornam a leitura extremamente agradável e não precisam de 400 páginas para se explicar. Veja exemplo neste livro de 150 páginas muito bem resolvido, direto ao assunto, sem floreios, acho que como deve ser a vida de um cachorro, simples e direta. Binária. 0 ou 1, Sim ou Não.

Buck sofreu muito sendo afastado de sua vida de cachorro rico, com luxos e mordomias, mas que, ele ainda não sabia, era desprovida de sentido. É o que acontece muitas vezes com a gente que vive em uma grande cidade, com bons empregos, bons salários e todo a vida “abastada” que o material pode comprar, mas que sempre sente falta de algo mais, mas não sabemos explicar o que falta.
Então, tentamos extravasar em um shopping, ou comprando coisas totalmente sem sentido.

Buck não escolheu viver no Alasca, foi contra sua vontade, foi humilhado, serviu ao mais baixo nível “hierárquico”, se é que existe isso na vida de um cachorro, sendo um reles puxador de trenó.
Percebeu que ninguém  se preocupava com sua felicidade e bem estar, e que isto dependia única e exclusivamente dele.

Pois foi nesse cenário adverso que ele despertou, e descobriu quem ele verdadeiramente era. Um líder, livre e totalmente sincronizado com a Natureza.
O Bulk quando aceitou que a vida era assim, e ele com paciência resolvia as intempéries que a vida, e os homens, lhe davam, realmente evoluiu como líder.

Bulk saiu de uma vida luxuosa para um perrengue total e retornou como líder. E mais importante, como um ser FELIZ.

Realmente apaixonante este livro e que me fez refletir bastante.