Nos bastidores do Pink Floyd

Escritor: Mark Blake
Editora: Generale
ISBN: 8563993348

456 páginas
Português
Formato lido: Digital, Kindle

Sinopse: Esta biografia conta fatos sobre a vida e da música de Roger Waters, David Gilmour, Nick Mason, Richard Wright e Syd Barrett, assim como seus conflitos, neuroses, medos, paixões e vitórias. Contendo entrevistas com dezenas de pessoas próximas aos músicos – amigos, namoradas, parceiros de trabalho, testemunhas, críticos musicais -, bem como depoimentos dos próprios membros da banda, ‘Nos bastidores do Pink Floyd’ procura acompanhar passo a passo a gênese do Pink Floyd e toda a sua carreira.

Os conflitos, neuroses, medos, paixões e vitórias, são esmiuçados, em um relato que impressiona pela riqueza de detalhes.

O Pink Floyd tem uma história secreta, conturbada e fascinante, que começa em Cambridge, na Inglaterra, nos tempos da Segunda Guerra Mundial, quando seus integrantes ainda eram crianças, e se estende até recentemente.

O que eu achei do livro: Na minha humilde opinião, como todas as biografias de astros de rock, o texto é chato de ser lido. Conta muitos fatos irrelevantes para que está somente atrás de uma boa história, ou simplesmente uma boa biografia.

Confesso que esta biografia do Mark Blake é um pouco melhor já que sou fã do Pink Floyd, o que facilitou muito a leitura, mas fico imaginando uma pessoa que não é fã e somente quer ler um bom livro, vai achar muito chato.

Definitivamente biografo de estrelas de Rock não deveriam escrever biografias, ou melhor, deveriam aprender um pouco com biografos como Peter Evans.

Tentando deixar esta opinião totalmente pessoal de lado, o livro é bem legal (de novo, somente para fãs do Pink Floyd), dá para entender um pouco o tipo de banda que é (ou foi) o Pink Floyd. Eles foram aquele tipo de banda que conseguiu trazer fãs até entre aqueles que não gostam muito de Rock, como meu pai, por exemplo.

Você até começa a entender como o estilo de ditador do Roger Waters influenciou e muito quando ele escreveu The Wall

David Gilmour não era tão gente boa assim, Rick Wright era de uma timidez tamanha e Nick Mason, na minha opinião, era um bom vivant.

Tanto Roger como David estão amarrados pela marca Pink Floyd, e suas carreiras solo não decolam (exceto por algumas músicas bem excepcionais) pois todos esperam músicas do estilo do Pink.

Bom, resumindo, um ótimo livro para se ler.